Usamos cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência. Para mais informações, acesse o nosso Aviso Externo de Privacidade.

Bebê gripado: o que fazer para aliviar os sintomas e evitar complicações?

27/05/2022 bebe-gripado-o-que-fazer

A imunidade ainda em desenvolvimento em crianças pequenas, em idade de até cinco anos, costuma torná-las mais propensas a doenças de alta circulação, como gripes e resfriados. Todo o desconforto dessas doenças é mais intenso e gera muita preocupação aos pais. 

O que fazer com o bebê gripado? De início, é importante manter a calma. Apesar de ser necessário o cuidado para evitar complicações na saúde e desenvolvimento, é normal que os pequenos acabem doentes com uma frequência maior que a de adultos, em uma média de sete a doze vezes por ano. 

À medida que ocorre o crescimento e fortalecimento da imunidade infantil, esses eventos podem diminuir em frequência e intensidade, sobretudo ao se empregar os cuidados necessários, sobre os quais iremos discutir nesse post. 

Também é importante conhecer as principais características e sintomas da gripe em bebês, bem como os riscos que ela traz para o desenvolvimento infantil. Por isso, vamos começar tratando desses assuntos. 

Sintomas da gripe em bebês 

A gripe é uma infecção respiratória causada pelo vírus da Influenza, um patógeno com elevada capacidade de mutação, o que dificulta a sua erradicação e faz com que o sistema imunológico imaturo de crianças seja um alvo perfeito. 

Por conta disso, bebês ficam gripados com frequência, podendo apresentar os seguintes sintomas: 

  • Febre alta com início súbito; 
  • Congestão nasal e coriza; 
  • Tosse; 
  • Olhos avermelhados; 
  • O bebê fica irritado e manhoso; 
  • Pode apresentar perda de apetite; 
  • Vômito e diarreia; 
  • Prostração e moleza. 

Os sintomas são bem similares ao que observamos em adultos, mas bebês gripados acabam com maior desconforto e causam muita preocupação, já que não podem simplesmente falar o que estão sentindo. 

Mas não há motivo imediato para pânico e a procura de atendimento médico com urgência. No decorrer do texto vamos dividir informações para ajudar no trato quando um bebê estiver gripado.  

Qual o risco da gripe em bebês e crianças pequenas? 

Antes de abordarmos o que podemos fazer com o bebê gripado, é relevante entender qual o risco que a doença apresenta. Assim como em adultos, a gripe tem potencial de gerar complicações mais graves, sobretudo ao atingir os pulmões, provocando uma pneumonia. 

Como o organismo dos pequenos ainda é frágil, ele pode sofrer ainda mais com essa doença, com potencial para sequelas graves e até fatalidade.  

Porém, é relevante compreender que esse nível de preocupação ocorre em casos seletos, onde a saúde da criança já está debilitada e os sintomas não são tratados adequadamente. 

Bebê gripado: o que fazer? 

Durante a gestação é indicado que os futuros pais e mães já procurem ficar por dentro do que fazer com um bebê gripado, já que isso pode ocorrer com muita frequência nos primeiros anos de vida da criança, uma média anual de até doze vezes até os cinco anos de idade. 

O principal foco é aliviar o incômodo gerado pelos sintomas, assegurar a respiração e evitar que a criança continue sendo exposta à possíveis alérgenos e patógenos. 

Um ponto que vale citar é que, nessa idade, os sintomas de gripes e resfriados, assim como o tratamento indicado, costumam ser ainda mais similares do que em adultos. Em ambos os casos é possível observar prostração, febre, coriza, congestão nasal e tosse. 

Veja o que fazer com o bebê gripado e tossindo para aliviar os sintomas e acelerar sua recuperação: 

  1. Posição elevada para dormir: assim como na gripe em adultos, o repouso é importante para a recuperação. Para isso, é recomendado elevar ligeiramente a cabeça do bebê em relação ao seu corpo, para diminuir o entupimento do nariz e facilitar a respiração tranquila; 
  1. Limpeza nasal: a congestão nasal é incômoda e pode prejudicar bastante os bebês gripados, já que eles possuem vias respiratórias mais estreitas. Para evitar o entupimento, a lavagem das narinas com aspirador nasal e soro fisiológico é uma medida muito recomendada. Também é possível optar pela nebulização com aparelhos de inalação; 
  1. Alimentação e hidratação: até os primeiros seis meses, o leite materno é o alimento ideal para fornecer nutrientes e anticorpos ao bebê. Após a introdução alimentar, sucos de laranja e outras frutas podem ajudar como tratamento caseiro, oferecendo vitamina C e outros nutrientes que ajudam no combate à gripe; 
  1. Esterilização de objetos: após o uso, todos os objetos do bebê devem ser esterilizados em água fervente. É o caso para mamadeiras, chupetas, copos e brinquedos. Isso garante um objeto livre de vírus e bactérias no próximo uso, ajudando na contenção dos causadores de gripes e resfriados; 
  1. Diminuição da exposição: quando o bebê está gripado, é recomendado diminuir sua exposição a outras pessoas. Outras crianças podem acabar adoecendo pelo contato com o seu bebê ou ainda podem trazer novas viroses para seu ambiente. Adultos, sobretudo fumantes, podem trazer alérgenos, que aumentam a irritabilidade nas mucosas e dificultam a recuperação.  

Vacina da gripe em bebês: prevenir é o melhor remédio! 

A vacina contra a gripe pode ser administrada em bebês a partir de seis meses de idade. De fato, crianças de seis meses a cinco anos de idade fazem parte do grupo prioritário da imunização contra a Influenza, tendo direito a vacina nas campanhas anuais. 

O imunizante infantil é seguro e não deve ser motivo de preocupação, ele pode evitar diversas cepas da gripe e diminuir os eventos de doenças respiratórias que ocorrem ao longo do período de um ano. 

Posso dar remédios para o bebê gripado? 

O uso de antigripais infantis, é possível, desde que siga as recomendações do pediatra e indicadas na bula do remédio, observando fatores como idade mínima, peso e outros de relevância para garantir a segurança em relação a saúde do bebê.  

Por exemplo, a versão de Benegrip Infantil, o Benegrip Multi é um antigripal líquido indicado para o tratamento de gripes e resfriados, porém ele não deve ser usado em bebês com menos de dois anos de idade.  

De modo geral, é necessário adotar um cuidado elevado ao administrar medicamentos no tratamento de doenças em bebês e crianças pequenos, já que essas substâncias podem prejudicar o funcionamento e o desenvolvimento do organismo infantil. 

Por exemplo, o uso excessivo de antibióticos na infância pode impactar negativamente no amadurecimento da imunidade ao longo da vida. Eles devem ser reservados apenas para tratar doenças causadas por bactérias, mediante diagnóstico clínico. 

Quando é hora de levar seu bebê gripado ao médico? 

De imediato, não é necessário levar o bebê gripado ao pediatra ou pronto-socorro. Empregar  cuidados para aliviar os sintomas e, caso já possua indicação de medicamentos, fazer o seu uso de acordo com a prescrição médica para a idade e peso da criança podem ajudar e muito no processo de melhora da criança em casa. 

A gripe e o resfriado infantil costumam passar por conta própria. A duração completa do quadro pode durar até dez dias, mas é normal observar uma diminuição dos sintomas mais graves, principalmente a febre, após o quinto dia. 

No entanto, se após os primeiros cinco dias, o bebê gripado continue apresentando febre alta, acima de 38º C, tosse incessante e pulmões com catarro, o nível de preocupação é elevado e é essencial levá-lo ao pediatra para avaliação médica. 

Viu só, agora você já sabe o que fazer com um bebê gripado. Lembre-se de manter a calma, reagir aos sintomas e aliviar o desconforto com medidas adequadas para a idade, peso e estado de saúde do seu filho. 

Para mais informações, consulte seu pediatra e tire suas dúvidas durante exames de rotina para ficar sempre preparado.

Se for gripe, Benegrip!

Imagem ilustrativa com embalagens dos produtos Benegrip, Benegrip Multi Dia, Benegrip Multi Noite e Benegrip Multi. Em fundo laranja, com o texto escrito

Benegrip tem a linha mais completa* do mercado para o tratamento dos sintomas de gripes e resfriados. Para promover o bem-estar e te ajudar a enfrentar a gripe , Benegrip está disponível em diferentes versões, para variados momentos e necessidades de toda a família!

Benegrip: versão tradicional e eficaz contra os sintomas da gripe. Com o poder dos 2 comprimidos (verde e laranja), combate as dores, febre, congestão nasal. Saiba mais sobre Benegrip

Benegrip Multi: antigripal líquido infantil para crianças a partir de 2 anos. Sua fórmula é feita à base de paracetamol, que combate as dores e a febre. Além disso, tem descongestionante e antialérgico que ajuda a acabar com o nariz entupido. Conheça o Benegrip Multi para cuidar da gripe das crianças!

Benegrip Multi Dia e Multi Noite: Fórmulas pensadas especialmente para os diferentes sintomas do Dia e da Noite e com forte** poder analgésico e descongestionante. A versão Dia não dá sono e contém descongestionante nasal. Já a versão Noite tem antialérgico e ajuda a dormir melhor. Veja como Benegrip Multi Dia e Multi Noite podem te ajudar.
*Linha com a maior quantidade de SKUs do mercado de antigripais. Fonte: IQVIA-PMB Mar/21.**Fórmula com alta concentração de ativos (800mg de paracetamol + 20mg de fenilefrina)