Imagem do post Sintomas de rinite: quais são os principais? Como tratar?

Os sintomas de rinite mais comuns são a coriza e a congestão nasal, isso quase todo mundo sabe. O que muitas pessoas não sabem é que a rinite alérgica não é a única forma de manifestação da doença, existem ainda outras causas para esse tipo de inflamação, como infecções virais e reações hormonais. 1

Nesse post, vamos conhecer os principais tipos de rinite, como se desenvolvem essas condições, qual o quadro comum entre elas e, principalmente, como podemos tratar e prevenir as incômodas crises de rinite, independente da causa.1

Vamos lá? Aproveite a leitura!

O que é a rinite?

A rinite é uma inflamação da mucosa nasal, tecido mole que reveste o interior das narinas. Os dutos são a porta de entrada do sistema respiratório, cobertos com pelos e muco, que servem para filtrar o ar e capturar corpos estranhos. Por conta disso, a região é bastante atacada por agentes irritantes e patógenos suspensos no ar, sendo essas as principais causas da doença.1

Quando percebe uma ameaça, o sistema imunológico dilata os vasos sanguíneos, usando a corrente sanguínea e a secreção nasal para transportar oxigênio e células de defesa ao local.1

Dessa forma, acontecem os dois principais sintomas de rinite, o congestionamento nasal e a coriza. A sensação de nariz entupido ocorre pelo inchaço da mucosa, decorrente da dilatação vascular promovida pelo processo inflamatório.1

Apesar de causar muito incômodo, o catarro dificilmente é o responsável pela obstrução. É mais comum que esse desconforto tenha a ver com a formação do edema.1

Qual a diferença entre rinite aguda e crônica?

Antes de prosseguir, é comum dividir os casos de rinite entre agudos e crônicos. 1

A forma aguda da rinite traz os sintomas clássicos, congestão nasal, rinorreia e coceira no nariz, com duração relativamente curta, de até 30 dias. Por outro lado, na rinite crônica os sintomas duram de 4 a 12 semanas, manifestando-se em crises recorrentes ao longo do período. 2

Quais são os tipos de rinite?

Em termos gerais, podemos dividir a rinite em dois tipos: alérgica e não-alérgica. A primeira, como o nome sugere, é decorrente de uma alergia, reação imunológica inadequada para lidar com um agente irritante (alérgeno) que não oferece grandes riscos à saúde. Por outro lado, a rinite não-alérgica pode ocorrer por diversos fatores, sendo mais frequente que tenha origem em infecções virais.1

Como veremos adiante com mais detalhes, outras versões de rinite não-alérgica incluem 1:

  • medicamentosa;
  • vasomotora;
  • atrófica;
  • hormonal;
  • ocupacional;
  • gustativa.

Na maioria dos casos, os sintomas de rinite permanecem os mesmos. Ainda assim, é relevante conhecer as diferentes manifestações da doença, a fim de identificar o melhor tratamento e método preventivo para cada situação.1

Rinite alérgica

A rinite alérgica é a inflamação da mucosa nasal com base em uma reação do sistema imunológico frente a gatilhos ambientais, como pó, mofo, pelos de animais, pólen, ácaros, produtos químicos e outros agentes irritantes. 1

A condição pode ser sazonal, quando o alérgeno responsável pela inflamação ocorre apenas em períodos isolados, ou decorrer de alergias respiratórias que podem acontecer o ano todo.  1

Em geral, o quadro se manifesta de forma aguda, ou seja, tem episódios de duração curta. Nessas ocasiões, os sintomas de rinite alérgica incluem coceira, espirros, rinorreia (coriza), olhos lacrimejantes e congestão nasal. 1

Rinite infecciosa

Outra forma aguda da doença é a rinite infecciosa, condição que geralmente tem origem viral. Os mesmos patógenos que provocam o resfriado comum, como o rinovírus, podem atingir isoladamente a mucosa nasal. 1

Nesse caso, os sintomas mais comuns são 1:

  • nariz escorrendo;
  • nariz entupido;
  • rinorreia posterior, quando a secreção escorre para a garganta;
  • tosse;
  • febre baixa.

O tratamento costuma utilizar descongestionantes em spray nasal ou comprimidos (via oral), que, apesar de ter venda livre, devem ser usados com cuidado e conforme as orientações da bula. Em doses inadequadas ou tratamentos prolongados, podem ter efeito rebote e piorar a obstrução nasal. 1

Além desses medicamentos, o uso de anti-histamínicos pode ser recomendado para aliviar a inflamação e reduzir o desconforto, principalmente quando é provocado pela combinação de coriza, tosse e nariz entupido, que acabam dificultando a respiração e o repouso noturno. 2

Rinite medicamentosa

O uso abusivo e inadequado de sprays nasais, mencionado no tópico anterior, pode provocar uma forma específica da inflamação, conhecida como rinite medicamentosa ou congestão de rebote. Esses medicamentos atuam comprimindo os vasos dilatados e diminuindo temporariamente a obstrução nasal.  1

Porém, seu uso não pode passar de três ou quatro dias, dependendo do caso e do remédio em questão. Depois desse tempo, o fármaco perde eficácia e os sintomas de rinite retornam com mais intensidade. 1

Rinite vasomotora

Causando um quadro crônico, os sintomas de rinite vasomotora incluem congestão nasal, rinorreia e espirros, assim como casos alérgicos.  1

O mecanismo responsável é bastante similar ao de alergias, porém, ele não é causado por uma hipersensibilidade do próprio organismo, mas sim pela combinação de clima frio e baixa umidade do ar com agentes irritantes, como poeira, pólen, pelos de animais, perfumes e comidas apimentadas, por exemplo.  1

Nesse caso, com a temperatura ambiente abaixo do normal e o ar seco, a mucosa nasal fica ressecada e sensível, mais vulnerável que em condições climáticas ideais. Dependendo do caso, pode atingir também os seios paranasais, provocando ao mesmo tempo um quadro de sinusite. 2

É uma das formas de rinite mais difíceis de tratar, pois ocorre em condições atípicas. De qualquer modo, não se costuma usar corticoides e sprays nasais para o seu tratamento. 1

Rinite atrófica

A rinite atrófica é uma manifestação crônica da inflamação, que atinge principalmente os idosos. Com o envelhecimento, a membrana que forma a mucosa nasal pode ficar mais fina e rígida, perdendo a elasticidade e composição natural dos tecidos. 1

Esse processo é chamado de atrofia, daí o nome do tipo de rinite. Nessas condições, os dutos nasais dilatam e ficam ressecados. Além disso, as células que produzem a secreção nasal perdem sua eficácia e expelem partículas sólidas, similar a um pó, que pode formar uma crosta de odor desagradável no interior das narinas. 1

Esses fatores podem provocar hemorragias e infecções bacterianas, por isso, o tratamento pode incluir o uso de pomadas de bacitracina, substância com efeito antibiótico.  1

Rinite hormonal

A rinite hormonal é provocada pela ação dos estrógenos no sistema vascular localizado no interior das narinas. As mulheres podem sofrer com esse quadro, que provoca congestão e corrimento nasal, em processos recorrentes do ciclo hormonal ou endócrino, como durante a menstruação, menopausa, gravidez, puberdade e quando apresentam hipotireoidismo. 2

Na prática, é uma variação da rinite vasomotora, que se manifesta de maneira similar a uma alergia respiratória. No entanto, a inflamação dos vasos sanguíneos da mucosa nasal se dá por conta da ação dos hormônios no organismo. 2

Rinite ocupacional

A rinite ocupacional é uma inflamação aguda ou crônica da mucosa nasal, provocada por fatores relacionados ao ambiente de trabalho e a função exercida pelo profissional em questão. A condição pode ser alérgica, quando o paciente possui hipersensibilidade a um determinado agente, ou não alérgica, quando a ação irritante é o bastante para provocar a inflamação. 3

A exposição constante a vapores, fumaça, poeira, odores fortes, gases tóxicos e produtos químicos pode ser a causadora da rinite ocupacional. Outra variação da doença é a rinite exacerbada pelo trabalho, quando o indivíduo já sofre de manifestações crônicas, agravadas pelas condições de trabalho. 3

Rinite gustativa

Por fim, temos a rinite gustativa, que é uma variação rara dessa inflamação, associada aos hábitos alimentares de uma pessoa. O quadro costuma atingir principalmente os idosos e incomodar bastante durante as refeições, fazendo o paciente tossir, espirrar e escarrar com frequência. 1

Vale destacar que a condição não resulta de uma alergia respiratória, apenas decorre do efeito que certos alimentos provocam no organismo. Entre os principais casos, podemos destacar 1:

  • comidas apimentadas;
  • comidas condimentadas;
  • refeições muito quentes;
  • vinho e outras bebidas alcoólicas.

Quais são os sintomas da rinite?

Depois de conhecer as diferentes formas e causas da rinite, é importante abordar detalhadamente os sintomas provocados por essa inflamação. O intuito é deixar claro como o quadro evolui e informá-lo a respeito do que pode fazer para aliviar o desconforto.  1 2

Partindo desse cenário, é válido apontar os principais sintomas da rinite, que são:

  • corrimento nasal (coriza);
  • espirros;
  • coceira no nariz;
  • obstrução nasal;
  • olhos lacrimejantes e irritados;
  • entre outros.

Corrimento nasal

O corrimento nasal, também chamado de coriza ou rinorreia, é caracterizado pelo aumento do volume e viscosidade do muco no interior das narinas, condição que costuma acontecer em inflamações e infecções respiratórias que atingem os dutos e seios paranasais. 4

A secreção é constantemente produzida pelo organismo, para manter o interior das vias aéreas úmido e protegido. Quando ficamos doentes, ela muda de aparência e consistência, pois serve um novo propósito. 4

Parte dos mecanismos de defesa do sistema imune, o catarro fica mais pegajoso e consistente, para conseguir capturar patógenos, agentes irritantes e corpos estranhos que podem prejudicar a mucosa nasal sensibilizada pela inflamação. 4

O fluido também age como meio de transporte para células de defesa e pode tornar uma cor amarelada ou esverdeada, por conta da ação desses anticorpos, que produzem proteínas responsáveis pela mudança de tonalidade do escarro. 4

Além de ser um sintoma de rinite, também ocorre em alergias respiratórias diversas, sinusite, infecções secundárias ou malcuradas do sistema respiratório, hipersensibilidade a fatores climáticos e uso inadequado de sprays descongestionantes (rinite medicamentosa). 4

Espirros

Assim como a tosse ajuda a limpar a garganta e proteger a mucosa quando o local está inflamado ou irritado, os espirros também auxiliam na defesa das vias aéreas, que nesse caso consistem principalmente nos dutos nasais. 5

Espirrar é um reflexo involuntário do corpo, comum em alergias e irritações da mucosa das narinas. Ao forçar o ar e o catarro para fora, o organismo está tentando se livrar de corpos estranhos, partículas sólidas, agentes irritantes ou patógenos que possam estar por trás do desconforto. 5

Coceira no nariz

A coceira no nariz está diretamente ligada aos espirros, alergias e irritações da mucosa nasal. Esse sintoma de rinite é provocado pelo aumento da sensibilidade, decorrente da inflamação, que deixa a membrana inchada, avermelhada e irritada. 5

Assim, qualquer elemento que provoque atrito com a mucosa pode incomodar e agravar o quadro, fazendo o nariz coçar por dentro e obrigando a pessoa a tentar limpar os dutos nasais, a fim de remover o objeto ou partícula estranha que gerou a irritação. 5

Obstrução nasal

Um dos sintomas de rinite mais característicos da inflamação é a obstrução nasal, que pode atingir ambas as narinas ou uma de cada vez, provocando a sensação de congestionamento e entupimento no nariz. 4

Quando a mucosa inflama, os vasos sanguíneos que irrigam o local ficam dilatados, causando inchaço da membrana e estreitamento das vias aéreas, dificultando ou até impedindo a passagem de ar pelo duto. 4

Em geral, as crianças sofrem mais com esse sintoma, pois elas já possuem canais respiratórios de espessura menor do que os dos adultos. Além disso, o sistema imunológico infantil ainda é imaturo e não está totalmente preparado para combater patógenos e controlar a inflamação. 4

Esse quadro está presente em diversos problemas respiratórios, incluindo 4:

  • infecções virais, como gripes e resfriados;
  • reações alérgicas;
  • sinusite;
  • rinite, incluindo a variante vasomotora e medicamentosa;
  • introdução de objetos estranhos no nariz.

Lacrimejamento dos olhos

A proximidade dos dutos nasais com os canais lacrimais faz com que a inflamação da mucosa das narinas possa espalhar e causar irritação nos olhos, que coçam bastante, ficam vermelhos e lacrimejantes. 1

Dependendo da intensidade do quadro, pode até evoluir para uma conjuntivite, inflamação da membrana transparente que cobre os globos oculares. Nessa situação, é possível perceber um acúmulo de secreção nos cantos dos olhos, principalmente se a condição for causada por bactérias. 1

Também é possível que acorde com as pálpebras grudadas, já que a secreção tende a solidificar com o tempo, pois os olhos permanecem fechados e o excesso não é removido ao piscar. 1

Sintomas menos comuns de rinite

Em quadros mais intensos e específicos, podem ocorrer sintomas de rinite mais raros. Entre eles, destacam-se 1:

  • cefaleia (dor de cabeça);
  • inchaço das pálpebras;
  • tosse;
  • sibilos e chiados ao respirar;
  • febre baixa, mais frequente em crianças e pessoas com imunidade baixa;
  • gotejamento pós-nasal (secreção escorrendo para o fundo da garganta);
  • formação de crostas e secreção com mau cheiro;
  • sangramento nasal;
  • escarro com sangue;
  • ressecamento da mucosa nasal;
  • anosmia (perda ou redução do olfato) temporária ou definitiva.

A dor de cabeça é causada pela inflamação e inchaço na mucosa, que pode deixar a região mais sensível e dolorida, principalmente ao movimentar a cabeça.  1

O inchaço das pálpebras é comum em quadros de conjuntivite e irritação nos olhos, em especial quando a rinite provoca sintomas mais intensos. Já a tosse tem a ver com o gotejamento pós-nasal e o desconforto causado pela secreção ao escorrer para a garganta. 2

Dependendo do nível de obstrução das vias aéreas, podem ocorrer sibilos e chiados ao tentar puxar o ar pelo nariz.  2

Raramente a rinite causa febre, porém, crianças e pessoas com baixa imunidade podem apresentar um pequeno aumento da temperatura corporal, pois o organismo não consegue combater a inflamação de maneira eficaz. 1

Em alguns tipos de rinite, como a vasomotora e atrófica, pode ocorrer a formação de crostas com odor desagradável as narinas, principalmente quando as células que produzem escarro perdem sua efetividade. 2

Esse ressecamento excessivo da mucosa nasal provoca sangramentos frequentes. Mesmo quando há expectoração, podem aparecer manchas vermelhas junto do catarro, indicando hemorragia nas vias respiratórias. 2

Por fim, quadros mais extremos podem gerar complicações prolongadas, como a perda parcial ou total do olfato, que podem ser temporárias ou definitivas, condição conhecida como anosmia. 1

Como é o tratamento da rinite?

O tratamento da rinite depende do tipo de inflamação e quadro de sintomas que apresentar. As manifestações agudas da doença são mais fáceis de lidar, utilizando corticoides e descongestionantes, tanto em spray nasal quanto em comprimidos para ingestão oral. A escolha do fármaco deve ser orientada por um médico, para assegurar a eficácia e diminuir o risco de efeitos adversos. 2

Conforme mencionado, corticóides e descongestionantes em spray devem ser usados com bastante cuidado, para evitar o efeito rebote. Siga corretamente a indicação do médico e o método de uso presente na bula do remédio. 2

Os antialérgicos, também chamados de anti-histamínicos, podem complementar o tratamento, mesmo em rinites não-alérgicas, pois ajudam a controlar a inflamação e diminuir a irritação da mucosa em outras formas da doença. 1

No caso de alergias, é essencial remover o alérgeno do ambiente para facilitar a recuperação. Esse cuidado ajuda a diminuir os gatilhos que desencadeiam as crises de rinite. 1

Tanto para a rinite alérgica quanto vasomotora, o uso de umidificadores de ambiente é indicado para melhorar a qualidade do ar respirado e evitar o ressecamento das mucosas. 1

Além dessas medidas, existem recomendações que ajudam a prevenir crises de rinite, principalmente do tipo alérgico. São elas 2:

  • manter o ambiente limpo, livre de poeira, pelos de animais e outros alérgenos, evitando também a proliferação de ácaros;
  • usar um aspirador com filtro ou pano úmido para remover o pó do chão e superfícies de móveis;
  • usar máscara, caso costuma apresentar sintomas de rinite ao limpar a casa ou usar produtos com cheiros fortes;
  • manter o local bem ventilado, para renovar o ar e diminuir a concentração de alérgenos inaláveis;
  • evitar móveis e itens de decoração que acumulam muita poeira;
  • evitar o tabagismo e consumo excessivo de bebidas alcoólicas;
  • adotar hábitos mais saudáveis, como praticar atividades físicas regulares e ter uma dieta nutritiva e equilibrada;
  • beber pelo menos dois litros de água por dia;
  • evitar passar horas em ambientes com ar-condicionado.

Caso sinta sintomas persistentes e que não melhoram com a medicação, procure novamente o médico para avaliar melhor o quadro. Se tiver muita dificuldade para respirar, é recomendado procurar socorro com urgência. 1

Como diferenciar a rinite da sinusite?

Em geral, é possível diferenciar a rinite da sinusite observando a evolução e o quadro de sintomas. A rinite costuma atacar principalmente as vias aéreas, causando pouco desconforto secundário. Já a sinusite é caracterizada pela pressão e dor intensa na face e atrás dos olhos. 1 6

Apesar de estarem relacionadas, são condições distintas. Conforme mencionado, a rinite é a inflamação da mucosa no interior das narinas, já a sinusite é a inflamação que ataca os seios paranasais, cavidades nas maçãs do rosto, que vão desde a altura do nariz até a parte de cima dos olhos. 6

O que é a sinusite?

A sinusite é a inflamação dos seios paranasais, causada por infecções bacterianas ou virais, alergias respiratórias e outros problemas de saúde. 6

A condição pode ser aguda, durando em torno de 30 dias, decorrente de infecções virais e alergias na maioria dos casos. Bactérias também provocam quadros agudos, porém, com menor frequência. A sinusite crônica pode chegar a 90 dias de curso, causada por pólipos nasais, alergias e outros fatores recorrentes. 6

Quais são os sintomas de sinusite?

Os sintomas mais comuns de sinusite são 6:

  • catarro purulento de cor amarela ou esverdeada;
  • dor de cabeça e no rosto;
  • sensação de pressão na face/
  • congestão nasal;
  • perda ou redução do olfato;
  • mau hálito;
  • tosse produtiva.

Outras queixas menos frequentes incluem febre, calafrios, dor nos olhos, tontura e dor no maxilar. 5

Conclusão

Os sintomas de rinite são causados pela inflamação da mucosa nasal, condição que pode se originar de diferentes fatores. Na maioria dos casos, a condição é crônica e não tem cura, portanto, os cuidados do tratamento visam dar suporte ao paciente, com o intuito de aliviar o desconforto e evitar crises intensas.

A medida mais importante para começar o tratamento é a preparação do ambiente, bem como a identificação e remoção dos gatilhos, principalmente em manifestações alérgicas da doença. Nesse caso, é importante manter a casa limpa e bem ventilada, além de usar umidificadores para melhorar a qualidade do ar respirado.

Depois de tomar as devidas precauções é que partimos para o tratamento medicamentoso, que deve sempre ser orientado pelo médico. A automedicação, em especial no uso inadequado de descongestionantes e corticóides, pode trazer efeitos adversos e piorar o quadro.

Assim, finalizamos o guia sobre os principais tipos e sintomas de rinite. Esperamos ter tirado suas dúvidas. Se gostou do post, não deixe de compartilhá-lo e continue ligado em nosso blog. Até a próxima!

Imagem ilustrativa com embalagens de todos os produtos Benegrip

Encontre o Benegrip ideal para você

Imagem da embalagem de Benegrip.

Benegrip®

O poder dos dois comprimidos
Benegrip® combate de maneira eficaz os sintomas de gripes e resfriados.1

Encontre aqui Saiba mais
Imagem da embalagem de Benegrip® Multi Dia.

Benegrip® Multi Dia

Combate os sintomas de gripes e resfriados, com um potente* efeito analgésico e descongestionante, sem dar sono4.

Encontre aqui Saiba mais
Imagem da embalagem de Benegrip® Multi Noite.

Benegrip® Multi Noite

Combate os sintomas de gripes e resfriados com um potente* efeito analgésico, descongestionante e antialérgico, para ajudar a dormir melhor5.

Encontre aqui Saiba mais

Suplemento Alimentar

Embalagem do Benegrip® Imuno Energy

Benegrip® Imuno

Cuida da sua imunidade e energia para te ajudar na recuperação da gripe.

Encontre aqui Saiba mais