Qual a função do sistema imunológico

Regeneração de lesões, combate de microrganismos invasores, cura de infecções. Se você se pergunta qual a função do sistema imunológico, saiba que estas são apenas algumas delas.

Justamente por ter uma função tão importante para manter o funcionamento do nosso corpo, o sistema imunológico deve ser observado e fortalecido sempre.

Se você não sabe por onde começar, não se preocupe. Neste artigo, vamos explicar com detalhes qual a função do sistema imunológico e quais práticas devem ser adotadas para assegurar seu funcionamento pleno.

Boa leitura!

O que é o sistema imunológico?

O sistema imunológico, também chamado de sistema imune, é um conjunto de células, órgãos e tecidos do nosso corpo, e atua como um verdadeiro guardião. Isso porque, diariamente, as células que o compõem enfrentam antígenos que ameaçam a integridade dos órgãos e demais sistemas.

Para te ajudar a entender o que é o sistema imunológico, que tal fazermos uma metáfora? Imagine que nosso corpo seja uma empresa. Cada setor tem uma função específica, e todas elas contribuem para o sucesso da estratégia corporativa.

Nesse cenário, o sistema imunológico seria o setor de Segurança, encarregado de proteger a empresa da entrada de pessoas não-autorizadas ou mal-intencionadas.

Do que é formado o sistema imunológico?

Como pontuamos no tópico anterior, o sistema imunológico é complexo e formado por diferentes órgãos. Dentre eles, estão a medula óssea, timo, baço, linfonodos, amígdalas, apêndice e Placas de Peyer, que se localizam no intestino delgado.

Também integram o sistema imunológico os tecidos epiteliais (como a pele, importante órgão de defesa do corpo), as secreções, como saliva e suor, e as mucosas, que formam barreiras de filtragem para corpos invasores.

Além deles, o sistema imunológico também é composto por uma série de células que exercem funções específicas, chamadas de células brancas (ou glóbulos brancos, ou ainda, leucócitos).

Estas células são subdivididas em outras, como os linfócitos (principais produtores de anticorpos), os neutrófilos e os macrófagos (ambos igualmente ligados à proteção, mas cuja atuação se concentra na resposta celular), responsáveis por bloquear e eliminar corpos estranhos, como vírus e bactérias.

Qual a importância do sistema imunológico para o ser humano?

Para te ajudar a entender a importância do sistema imunológico para o ser humano, que tal fazermos um exercício? Imagine que o corpo humano não tenha um mecanismo de proteção e defesa contra agentes invasores. O quão difícil seria evitar doenças ou mesmo combatê-las quando já estivessem instaladas no nosso organismo?

Pois bem. A principal função do sistema imunológico é esta: proteger o corpo e prevenir as consequências das ações de corpos invasores. Estes podem ser vírus, bactérias, parasitas, células cancerígenas, etc.

Essa proteção acontece a partir da identificação da presença dos patógenos e do desenvolvimento de uma resposta capaz de frear os danos e recuperar o organismo de possíveis deteriorações.

Como o sistema imunológico trabalha em nosso corpo?

O sistema imunológico trabalha para manter as defesas do organismo altas. Por isso mesmo, em uma primeira instância, opera bloqueando a entrada de corpos estranhos (como fungos, bactérias, germes, vírus).

Nos momentos em que esse bloqueio falha, a função do sistema imune se redesenha. A partir daí, os diferentes órgãos que compõem o conjunto se concentram na identificação do invasor e na implementação de uma reação no organismo.

Esta reação tem, como funções:

  • eliminar os invasores;
  • frear sua proliferação;
  • destruir tecidos comprometidos;
  • regenerar as células atingidas;
  • garantir a manutenção do funcionamento do corpo.

Como saber se o sistema imunológico está baixo?

Você já ouviu a expressão “o corpo fala”? Ela também se aplica neste caso. Perceber os sinais do corpo é fundamental para te ajudar a entender se o sistema imunológico está baixo ou trabalhando de forma ineficaz.

Alguns dos alertas do corpo que podem indicar fraqueza do sistema imunológico são:

  1. Falta de energia e de disposição: queixas frequentes de fadiga e cansaço podem ser sinais de falta de reserva de nutrientes essenciais;
  2. Infecções intensas e frequentes: quando o corpo não consegue combater infecções e outras doenças de forma satisfatória, é comum que os quadros comecem a acontecer em cadeia;
  3. Disfunção gastrointestinal: o sistema digestivo tem, como função, absorver e sintetizar nutrientes essenciais para fortalecer nossa imunidade. Dessa forma, quando não funciona da maneira esperada, ele impacta na distribuição destes nutrientes para o sistema imune.

Como reforçar o sistema imunológico?

Agora você já sabe qual a função do sistema imunológico e o quão estratégico ele é para a manutenção do funcionamento do corpo. Que tal algumas dicas de práticas que você pode adotar para manter o seu sistema imune forte e funcional?

  • Mantenha-se hidratado: a ingestão de líquidos ajuda o corpo a se livrar de impurezas e de toxinas;
  • Esteja em dia com o calendário de vacinação: assim, você previne doenças e fortalece o seu corpo por meio da imunidade adquirida (que estimula a produção de anticorpos sem que seja necessário passar pela infecção);
  • Crie uma rotina de sono saudável e equilibrada, permitindo que o corpo se recupere e regenere;
  • Pratique atividades físicas: isso acelera o metabolismo e estimula o sistema imune a operar em sua máxima potência;
  • Cuide da saúde mental: situações de stress podem levar ao desgaste do sistema imunológico;
  • Vá além da vitamina C: seu objetivo deve ser fornecer ao organismo toda a demanda nutritiva para o funcionamento do sistema imunológico. Considere, por exemplo, incluir os elementos abaixo na sua dieta:

(fonte: Secretaria de Saúde de Santa Catarina. Acesso em novembro de 2022)

Qual a função do sistema imunológico? Considerações

Conhecer a complexidade do sistema imunológico e o papel essencial que desempenha na manutenção do funcionamento do corpo é fundamental.

Dessa forma, nos sentimos estimulados a adotar práticas equilibradas e saudáveis para contribuir com o bom desempenho desta rede de órgãos protetores.

Chegou Benegrip Imuno!

Imagem ilustrativa com embalagens dos produtos Benegrip Imuno Complex e Benegrip Imuno Energy. Em fundo verde, com o texto escrito

Mais nova linha de Benegrip, agora de suplementos de vitaminas e minerais escolhidos para fortalecer* seu sistema imunológico e reforçar** sua energia.

Benegrip Imuno Complex: O primeiro em cápsulas gelatinosas***, possui uma fórmula exclusiva*** que irá auxiliar na prevenção* e fortalecer* o seu sistema imunológico. Saiba mais!

Benegrip Imuno Energy: Comprimidos efervescentes com um complexo exclusivo*** de vitaminas e minerais escolhidos que irão contribuir com sua energia** e auxiliar no sistema imune. Saiba mais!

Benegrip Imuno Complex e Benegrip Imuno Energy são alimentos isentos de registro de acordo com a RDC 27/2010.*Referente ao Benegrip Imuno Complex que contém vitamina D, C, A e Zinco que auxiliam no funcionamento do sistema imune.**Referente ao Benegrip Imuno Energy que contém vitamina C e Zinco que auxiliam no metabolismo energético, e de proteínas, carboidratos e gorduras, respectivamente.***IQVIA. PMB. Agosto, 2021. Mapeamento do mercado de vitaminas.

Delves PJ. Considerações gerais sobre o sistema imunológico [Internet]. Manual MSD Versão Saúde para a Família. Manuais MSD; 2020. Disponível em: https://www.msdmanuals.com/pt-br/casa/doen%C3%A7as-imunol%C3%B3gicas/biologia-do-sistema-imunol%C3%B3gico/considera%C3%A7%C3%B5es-gerais-sobre-o-sistema-imunol%C3%B3gico . Acesso em: novembro de 2022.Saiba como nosso sistema imunológico trabalha para eliminar os vírus e bactérias que tentam nos atingir [Internet]. butantan.gov.br. Disponível em: https://butantan.gov.br/noticias/saiba-como-nosso-sistema-imunologico-trabalha-para-eliminar-os-virus-e-bacterias-que-tentam-nos-atingir Acesso em novembro de 2022Portal Scielo [Internet]. Córdova Martínez A, Alvarez-Mon M. O sistema imunológico (I): conceitos gerais, adaptação ao exercício físico e implicações clínicas. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. 1999 Jun;5(3):120–5. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbme/a/KzSkBYkSszWjrzwzDtsdnwg/?lang=pt# . Acesso em: novembro de 2022.