Criança com imunidade baixa

É normal que as crianças fiquem doentes com mais frequência do que os adultos, por conta do sistema imune não ter se desenvolvido completamente, o que costuma levar de toda a infância até a adolescência, a partir dos 12 anos de idade.

No entanto, o problema acontece quando uma criança com imunidade baixa, além de ficar doente mais vezes, apresenta sintomas mais sérios. Nesses casos, infecções fortes e recorrentes podem até mesmo prejudicar o seu desenvolvimento.

Para ajudar os pais a evitarem esse problema no crescimento dos seus filhos, reunimos os principais sinais de alerta da baixa imunidade em crianças, o que provoca esse enfraquecimento e o que pode ser feito para fortalecer as defesas do organismo na infância. Aproveite a leitura!

Qual o risco da imunidade baixa em crianças?

A criança com imunidade baixa tem maior risco de sofrer com infecções crônicas e fica mais vulnerável à ação de bactérias e vírus, principalmente as que atacam os sistemas respiratório e digestivo, essenciais para o funcionamento saudável do corpo e desenvolvimento infantil.

Por um lado, é relevante destacar que quadros graves de pneumonia, diarreias crônicas e problemas similares podem ser fatais, exigindo atenção imediata e atendimento pediátrico, ainda mais se forem recorrentes.

Do outro, temos o impacto desses frequentes problemas de saúde no desenvolvimento da criança, que pode ter maiores riscos de sofrer com ossos fracos, músculos subdesenvolvidos, problemas de visão e outras sequelas similares.

O que deixa a criança com a imunidade baixa?

Muitos fatores podem deixar a criança com imunidade baixa e eles podem surgir desde o nascimento. Por conta da genética, nascimento prematuro ou doenças diversas, é possível diagnosticar tipos de imunodeficiência em bebês.

Exames durante a gestação e após o nascimento ajudam a identificar esse tipo de problema no sistema imune infantil, entre eles, podemos citar como exemplo o teste do pezinho.

Ainda entre os fatores genéticos, crianças que sofrem com alergias respiratórias ou alimentares podem ter dificuldade para desenvolver a imunidade de maneira apropriada.

Mudando a perspectiva, também devemos entender questões ambientais e comportamentais que podem provocar o enfraquecimento da imunidade infantil. Entre elas, temos:

  • ausência de vacinas;
  • má alimentação, com poucos nutrientes;
  • hábitos irregulares de sono;
  • sedentarismo;
  • falta de amamentação até os seis meses de idade;
  • falta de hábitos de higiene;
  • pouca interação com ambientes e outras crianças.

Quais sintomas de imunidade baixa em crianças?

Enquanto é normal ficarem doentes com mais facilidade, os pequenos também se recuperam mais rapidamente e não devem sofrer com sintomas muito fortes. No entanto, crianças com imunidade baixa têm infecções e inflamações mais sérias e recorrentes.

Para saber se o seu filho está com a imunidade fraca, fique atento aos seguintes sintomas:

  • ocorrência de dois ou mais quadros de pneumonia ao longo de um ano;
  • inflamações recorrentes, como otites, sinusites e similares, acima de quatro vezes ao ano;
  • episódios frequentes de estomatite;
  • abcessos e problemas de pele;
  • diarreia crônica;
  • infecções sistêmicas graves, como meningite e osteoartrite;
  • desenvolvimento de quadros graves de asma.

De modo geral, é importante ficar atento a infecções de repetição e a quadros severos seguidos. Também é relevante ficar em alerta quando há histórico familiar de imunodeficiência.

7 dicas para fortalecer a imunidade infantil

Apesar da seriedade, os pais podem oferecer alguns cuidados para o tratamento da imunidade infantil, fortalecendo o desenvolvimento das defesas do organismo dos seus filhos e assegurando o crescimento saudável.

Para mostrar como cuidar da criança com imunidade baixa, confira nossas dicas:

1. Alimentos para imunidade infantil

O consumo de alimentos para imunidade infantil é essencial para fortalecer as defesas e estimular o crescimento de crianças mais fortes e cheias de saúde. No geral, a dieta deve ser diversificada e rica em nutrientes, como as vitaminas de A a E, minerais como zinco e ferro, além de proteínas e carboidratos.

Entre os alimentos que aumentam a imunidade infantil, podemos citar:

  • fontes de proteínas: são as carnes e leguminosas, como feijão, soja e lentilhas, que fornecem energia, minerais e estimulam a produção de anticorpos e células de defesa;
  • laticínios: leite e derivados, como queijos, iogurtes e similares, fornecendo vitaminas, probióticos e cálcio;
  • cereais integrais, sementes e amêndoas: servem para fornecem fibras, vitamina E e zinco, nutrientes essenciais para desenvolver a imunidade;
  • frutas e legumes: são as principais fontes de vitaminas, minerais e fibras para a alimentação, essenciais para desenvolvimento saudável das células do organismo, incluindo do sistema imune.

2. Suplemento de vitamina para aumentar imunidade infantil

Crianças que recusam certos alimentos ou têm problemas para absorver nutrientes importantes podem optar por suplementos de vitamina para aumentar a imunidade infantil e promover o crescimento saudável.

Nesse caso, é necessário realizar exames para ter um diagnóstico completo e escolher o remédio para aumentar a imunidade da criança de acordo com cada caso. Para isso, é importante consultar seu médico, combinado?

3. Educação sobre hábitos de higiene

Hábitos de higiene são muito importantes para diminuir a frequência de doenças, principalmente as temidas viroses. Normalmente, as crianças tocam em tudo e levam as mãos ao nariz e boca, o que facilita a entrada de vírus e bactérias no organismo.

Estimular desde cedo hábitos de higiene, ensinar como lavar as mãos corretamente e evitar o compartilhamento de objetos pessoais são ações que podem diminuir essas infecções e ajudar a imunidade a proteger o organismo infantil.

4. Vacinação completa

Não há como falar em imunidade sem citar a importância da vacinação. Muitas doenças foram erradicadas com a aplicação de imunizantes desde os primeiros dias de vida. Manter a carteirinha de vacinação completa é essencial para a saúde pública, assim como de cada criança.

5. Cuidado com a hidratação

A água faz parte de diversas funções biológicas e é muito importante estimular a ingestão de líquidos desde cedo. Esse cuidado também é indicado para combater o risco de desidratação e cuidar bem da saúde infantil.

6. Prática de atividades físicas e brincadeiras ao ar livre

Aproveite que as crianças costumam ser cheias de energia e faça elas se movimentarem bastante. Atividades físicas também são hábitos bons de se desenvolver durante a infância, que ajudam a formar ossos e músculos saudáveis.

Ao mesmo tempo, brincar ao ar livre, tendo contato com o mundo, fornece uma exposição controlada a germes e a outros microrganismos, o que contribui para o amadurecimento da imunidade.

7. Cuidado com a rotina de sono

Depois de gastar energia, é hora de cuidar do repouso. Uma rotina de sono saudável contribui para o crescimento das crianças e promove saúde e bem-estar, tanto na parte física quanto mental. Evite estímulos antes de dormir, como televisão, smartphones e videogames, para que os pequenos relaxem e durmam a noite toda.

Tomando esses sete cuidados, é possível estimular o desenvolvimento infantil e reverter um quadro de criança com imunidade baixa. Para ter os melhores resultados, não deixe de consultar o pediatra e realizar exames de rotina ao longo da infância.

Esperamos que seus filhos cresçam com saúde e imunidade forte (e que tenham gostado do nosso post). Para mais dicas como essas, acesse o blog Portal da Saúde.

As crianças estão gripadas? Tem Benegrip Multi!

Benegrip Multi é um antigripal líquido desenvolvido especialmente para as crianças a partir de 2 anos!

Em sabor frutas vermelhas, sua formulação combina a ação de três ativos que ajudam a combater os principais sintomas de gripes e resfriados que atingem as crianças.

Paracetamol: alívio das dores e febre

Fenilefrina: descongestionante nasal

Carbinoxamina: antialérgico que ajuda a aliviar a coriza

Benegrip Multi pode ser usado em crianças a partir de 2 anos*. Clique aqui e saiba mais!

*Medicamento não deve ser utilizado no tratamento de bebês até 2 anos de idade, somente para crianças acima dessa idade.

Conheça melhor Benegrip Multi.

Parkin J, Cohen B. An overview of the immune system. Lancet. 2001 Jun 2;357(9270):1777-89. doi: 10.1016/S0140-6736(00)04904-7. PMID: 11403834. Disponível em https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/11403834/. Acesso em setembro/2022.National Institutes of Health. Vitamin C – Fact Sheet for Health Professionals. Disponível em https://ods.od.nih.gov/factsheets/VitaminC-HealthProfessional/. Acesso em setembro/2022.Biblioteca Virtual da Saúde – BVS. O que é e para que serve a vitamina A. Disponível em https://aps.bvs.br/aps/o-que-e-e-para-que-serve-a-vitamina-a/. Acesso em setembro/2022.National Health System UK. Vitamin D. Agosto de 2020. Disponível em: https://www.nhs.uk/conditions/vitamins-and-minerals/vitamin-d/. Acesso em setembro/2022.Tardy AL, Pouteau E, Marquez D, Yilmaz C, Scholey A. Vitamins and Minerals for Energy, Fatigue and Cognition: A Narrative Review of the Biochemical and Clinical Evidence. Nutrients. 2020 Jan 16;12(1):228. Acesso em setembro/2022.F Gazoni, W Malezan, F Santos. O uso de vitaminas do complexo B em terapêutica analgésica. Rev. dor 17 (1) • Jan-Mar 2016. Disponível em: https://doi.org/10.5935/1806-0013.20160013. Acesso em setembro/2022.Simon AK, Hollander GA, McMichael A. Evolution of the immune system in humans from infancy to old age. Proc Biol Sci. 2015 Dec 22;282(1821):20143085. doi: 10.1098/rspb.2014.3085. PMID: 26702035; PMCID: PMC4707740. Acesso em setembro/2022.Nature [Internet]. How kids’ immune systems can evade COVID. 10 de dezembro de 2020. Disponível em: https://www.nature.com/articles/d41586-020-03496-7. Acesso em setembro/2022.