Usamos cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência. Para mais informações, acesse o nosso Aviso Externo de Privacidade.

Qual a melhor máscara para Covid-19 e outras doenças?

08/10/2021 melhor máscara covid

Desde o início da pandemia da covid-19, o uso de máscaras se tornou a medida imediata para evitar que a doença se espalhasse de maneira ainda mais acelerada.  

Mesmo com o início da vacinação, ainda é uma prática recomendada e muitas vezes obrigatória, considerando os riscos e as temidas variantes da doença. Porém, isso levanta a questão: qual a melhor máscara para covid-19

De modo geral, é comum encontrar diversos modelos de máscaras para se proteger, mas é essencial entender como elas funcionam, quais fatores influenciam sua efetividade e como cada modelo se sai quando avaliado por essa perspectiva. 

Vale lembrar que o uso de máscaras para evitar contaminação de outros patógenos por inalação é comum em alguns países, como China e Japão. Nesse caso, uma pessoa pode usar o item para não ficar doente ou evitar a transmissão de terceiros quando sentir sintomas. 

Pode-se dizer que a escolha da melhor máscara para se proteger da covid-19 é tão importante quanto utilizá-las corretamente, cobrindo completamente o nariz, boca e queixo, evitando tocar a parte externa e higienizando as mãos sempre que o fizer. 

Quer saber como escolher o modelo certo e o que influencia a sua eficiência? Então continue lendo! 

O que são máscaras faciais? 

Em uma definição generalizada, máscaras são consideradas EPIs, ou seja, equipamentos de proteção individual, que servem para filtrar a respiração e impedir a troca de partículas entre o usuário e o ambiente que o cerca. 

Dessa forma, são capazes de evitar que microorganismos, entre os quais estão os vírus da Influenza e Sars-Cov-2, sejam inalados com a respiração ou mesmo expelidos no ambiente em gotículas de saliva, caso a pessoa esteja infectada. 

Em países da Ásia, o uso de máscaras para prevenção de doenças respiratórias é ainda muito comum, inclusive para evitar que pessoas gripadas contaminem outras à sua volta. O que não ocorria em outras partes do mundo, até sermos impactados pela pandemia. 

Estima-se que o uso de máscaras para evitar a covid-19 tenha atingido 90% da população mundial, sendo essa uma exigência de efetividade comprovada e aplicada pela maioria das autoridades em saúde pública. 

Quais fatores influenciam na eficiência das máscaras? 

Para verificar a efetividade de cada tipo de máscara, antes precisamos analisar como a doença é transmitida. No caso da covid-19, uma pessoa que apresente sintomas como tosse e espirros costuma ficar isolada como medida preventiva. 

No entanto, a doença tem um período de incubação pré-sintomas de 2 a 15 dias, além de ocorrerem pacientes assintomáticos. Por conta disso, medidas para prevenir a transmissão mesmo sem sintomas são muito importantes. 

Como a transmissão por meio da saliva é a mais comum, devemos evitar que partículas microscópicas sejam lançadas ao ambiente e entrem em contato com o sistema respiratório, principalmente pelas mucosas da boca e narinas. 

Nesse contexto, dois fatores são os mais importantes: a vedação e a capacidade de filtragem da máscara.  

A vedação é basicamente a capacidade do EPI em isolar a região protegida, mantendo o máximo possível de contato com a pele do usuário, para que não seja possível que os contaminantes cheguem até a face. 

A seguir, temos a capacidade de filtrar. Máscaras de proteção são desenvolvidas para proteger, mas também para permitir a respiração. Por isso, contam com microperfurações e/ou camadas que impedem a passagem de partículas, mas deixam o oxigênio fluir normalmente. 

Portanto, esses fatores devem ser considerados ao observar o tipo de máscara e também o seu formato, já que é de extrema importância que ela se ajuste perfeitamente ao rosto, impedindo a transmissão por saliva contaminada ao falar ou respirar. 

Tipos de máscara facial para proteção individual 

Sabendo que o EPI deve oferecer boa vedação e filtragem, vamos avaliar como os modelos mais comuns no Brasil se saem nesse quesito, para que seja então possível identificar qual a melhor máscara para prevenção da covid-19. 

Máscara PFF2/N95 

Vamos começar por um dos modelos mais seguros e recomendados, que é o N95 ou PFF2. Essa diferença se dá por conta da padronização da ANVISA utilizar o termo PFF2, que tem as mesmas características que o padrão americano N95. 

Esse modelo é de uso comum dos profissionais de saúde, por contar com uma excelente proteção contra aerossóis, ou seja, gotículas bem pequenas de saliva que podem ser lançadas ao ar e inaladas pela respiração ou por meio  do contato direto. 

São compostas por diferentes materiais e costumam apresentar várias camadas, para trabalhar melhor a filtragem. Além disso, o formato anatômico se ajusta melhor ao rosto, especialmente por ser comum a colocação de um arame na parte superior, para prender melhor na parte de cima do nariz. 

É importante certificar que o modelo seja PFF2 ou N95. Isso porque é usual que as pessoas se confundam com a padronagem chinesa KN95, que não é aprovada pela ANVISA.  

Máscara cirúrgica 

A máscara cirúrgica é um modelo bem comum, utilizado em procedimentos gerais na área da saúde. Apesar de não apresentar muitas camadas, ela é fabricada em material capaz de filtrar partículas de tamanho extremamente reduzido, portanto são bem seguras. 

Elas também contam com arame para ajuste no nariz, mas o formato não é tão anatômico quanto a PFF2, o que diminui a capacidade de vedação. É importante destacar que esse modelo é descartável. 

Máscara de tecido comum 

Finalizando, temos o modelo mais comum, que é a máscara de tecido. Feita em uma camada simples ou combinada de tecidos, funciona como um lenço sobre o rosto do usuário.  

Na prática, mesmo modelos com mais camadas não são tão eficientes na filtragem, apesar de oferecerem alguma proteção. A vedação também é moderada, principalmente modelos que começam a alargar com o uso. 

Qual a melhor máscara para evitar a contaminação por vírus? 

Com todas essas informações, temos uma noção sobre qual a melhor máscara para prevenção da covid-19, gripe e outras doenças respiratórias.  

Atualmente, a opção mais indicada é a PFF2/N95. Com ótima capacidade de filtragem de aerossóis e formato anatômico que pode garantir melhor vedação, ela oferece mais proteção ao indivíduo do que as demais. 

Ela não é tão popular por vários motivos, principalmente o custo por unidade, uso descartável e a sua aplicação prioritária aos profissionais de saúde. 

Como a pandemia teve início repentino, a fabricação industrial não foi capaz de atender o aumento na demanda. Por isso, foi recomendado que a população geral utilizasse máscaras de tecido, reservando a PFF2 e a cirúrgica ao setor da saúde. 

Atualmente, a capacidade fabril foi ajustada e o modelo está mais acessível, sendo o mais eficiente para a prevenção. 

Referências Consultadas

Benegrip [Internet]. Bula Benegrip. Disponível em <https://www.benegrip.com.br/bula.php>. Acesso em outubro/2021.

Benegrip [Internet]. Bula Benegrip Multi. Disponível em <https://www.benegrip.com.br/bula-benegrip-multi.php>. Acesso em outubro /2021.

Benegrip [Internet]. Bula Benegrip Dia. Disponível em <https://www.benegrip.com.br/bula-benegrip-dia.php>. Acesso em outubro /2021.

Benegrip [Internet]. Bula Benegrip Noite. Disponível em <https://www.benegrip.com.br/bula-benegrip-noite.php>. Acesso em outubro /2021.

Blog Coronavírus. Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais. “Máscara de tecido, máscara cirúrgica e máscara N95: quando usá-las?”. Disponível em <https://coronavirus.saude.mg.gov.br/blog/190-coronavirus-tipos-de-mascara>. Acesso em outubro /2021.

ANVISA.. Cartilha de Proteção Respiratória contra Agentes Biológicos para Trabalhadores de Saúde. Disponível em <https://www.saude.mg.gov.br/images/documentos/cartilha%20mascara.pdf>. Acesso em outubro /2021.

Srivastav A, Santibanez TA, Lu PJ, Stringer MC, Dever JA, et al. (2018) Preventive behaviors adults report using to avoid catching or spreading influenza, United States, 2015-16 influenza season. PLOS ONE. 2018; 13(3): e0195085.

Jeremy Howard, Austin Huang, Zhiyuan Li, Zeynep Tufekci, et al. An evidence review of face masks against COVID-19. Disponível em <https://www.pnas.org/content/118/4/e2014564118>. Acesso em outubro /2021.

IQVIA-PMB Ago/21.

Se for gripe, Benegrip!

Imagem ilustrativa com embalagens dos produtos Benegrip, Benegrip Multi Dia, Benegrip Multi Noite e Benegrip Multi. Em fundo laranja, com o texto escrito

Benegrip tem a linha mais completa* do mercado para o tratamento dos sintomas de gripes e resfriados. Para promover o bem-estar e te ajudar a enfrentar a gripe , Benegrip está disponível em diferentes versões, para variados momentos e necessidades de toda a família!

Benegrip: versão tradicional e eficaz contra os sintomas da gripe. Com o poder dos 2 comprimidos (verde e laranja), combate as dores, febre, congestão nasal. Saiba mais sobre Benegrip

Benegrip Multi: antigripal líquido infantil para crianças a partir de 2 anos. Sua fórmula é feita à base de paracetamol, que combate as dores e a febre. Além disso, tem descongestionante e antialérgico que ajuda a acabar com o nariz entupido. Conheça o Benegrip Multi para cuidar da gripe das crianças!

Benegrip Multi Dia e Multi Noite: Fórmulas pensadas especialmente para os diferentes sintomas do Dia e da Noite e com forte** poder analgésico e descongestionante. A versão Dia não dá sono e contém descongestionante nasal. Já a versão Noite tem antialérgico e ajuda a dormir melhor. Veja como Benegrip Multi Dia e Multi Noite podem te ajudar.
*Linha com a maior quantidade de SKUs do mercado de antigripais. Fonte: IQVIA-PMB Mar/21. **Fórmula com alta concentração de ativos (800mg de paracetamol + 20mg de fenilefrina)