Usamos cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência. Para mais informações, acesse o nosso Aviso Externo de Privacidade.

Sistema imune: o que é, como funciona e como fortalecer

16/03/2022 sistema imune

O sistema imune representa o conjunto de células, tecidos e órgãos que atuam na defesa do nosso organismo, regenerando lesões, combatendo a presença de microrganismos invasores e promovendo a cura de infecções provocadas por esses patógenos. 

Trata-se de uma estrutura extremamente complexa, formada desde a gestação e melhorada ao longo da vida. Vacinas, hábitos saudáveis e até mesmo doenças podem fazer com que nossa imunidade se fortaleça, basta cuidar para que o organismo se mantenha saudável e bem nutrido. 

De fato, o que não nos mata, nos fortalece.  

Desde o início da pandemia, houve um aumento na preocupação com o que fazer para fortalecer o sistema imune. Muito se fala sobre imunidade adaptativa, vacinação e até o uso de suplementos alimentares para estimular respostas mais eficientes por parte das defesas do organismo. 

Na prática, não há apenas uma solução ou caminho único a ser seguido. Para desfrutar de um sistema imunológico forte e eficaz, é crucial entender o que forma nossas barreiras contra vírus, fungos, bactérias e outros microrganismos, além de compreender como ele age no combate aos invasores. 

Tudo isso oferece um panorama importante sobre o que deve ser fornecido ao sistema imune para que ele desempenhe o seu papel com maior qualidade e eficiência.  

Antes de seguirmos com nosso guia completo, um lembrete importante: imunidade alta não é sinônimo de estar totalmente livre de doenças. Não há como garantir tal benefício. No entanto, ao fortalecer o sistema imunológico, podemos alcançar: 

  • Redução significativa na incidência de doenças diversas; 
  • Sintomas mais leves em doenças crônicas e agudas; 
  • Menor risco de complicações em infecções diversas; 
  • Prevenção e proteção elevada contra novas doenças; 
  • Mais energia e disposição para o dia a dia; 
  • Estimula a adoção de hábitos saudáveis em outras pessoas. 

Parece bom, não é mesmo? Então vamos descobrir tudo que importa sobre o sistema imune, de quais células e órgão fazem parte dele, passando pelo comparativo entre os diferentes tipos de imunidade, sinais de vulnerabilidade e até alternativas para o elevar o nível das defesas do corpo.  

Gostou? Então aproveite a leitura! 

O que é o sistema imune? 

Por definição, o sistema imune é o conjunto de órgãos, tecidos, células e moléculas presentes no corpo humano e que desempenham alguma função referente a proteção do organismo, detecção de ameaças e combate aos efeitos nocivos provocados por microrganismos externos e lesões. 

Isso significa que até mesmo nossa pele, o suor, lágrimas e demais funções biológicas servem de alguma forma para a proteção da saúde e aumento da eficiência em nossas respostas imunológicas. 

Fatores como cicatrização, desenvolvimento de tecidos, atividade celular e metabolismo, todos representam uma parte importante do sistema imune. Com isso, é impossível limitar nossas defesas a apenas alguns órgãos e tipos de células. 

A partir dessas informações, podemos definir que: 

  1. O sistema imune é um complexo conjunto de órgãos, células e tecidos do nosso corpo; 
  1. Ele age na prevenção, detecção, combate e regeneração dos efeitos causados por microrganismos invasores; 
  1. Todas funções biológicas apresentam uma relação com a nossa imunidade; 
  1. A produção de anticorpos e o desenvolvimento constante da imunidade são os principais fatores para determinar a qualidade da resposta defensiva aplicada pelo nosso organismo. 

Quais órgãos fazem parte do sistema imunológico? 

Compreendendo o que é o sistema imune, podemos nos aprofundar no tema e observar quais partes formam nossas defesas. Nesse contexto, vale a pena citar: 

  • Tecidos epiteliais: a pele representa um importante órgão de defesa do corpo, prevenindo a entrada de microrganismos diversos; 
  • Mucosas: membranas internas e úmidas que revestem órgãos e cavidades, atuando como barreiras de filtragem para invasores do organismo; 
  • Secreções: saliva, muco e suor são exemplos de secreções produzidas pelo corpo, que podem prender e combater agentes externos que tentam prejudicar nosso organismo; 
  • Órgãos e tecidos do sistema linfático: como medula óssea, glândulas, amigdalas e outros participantes do metabolismo, produção hormonal e síntese de nutrientes, todos que atuam na manutenção e transporte de células de defesa do corpo, os chamados glóbulos brancos. 
órgãos do sistema imune
Fonte: Educa Mais Brasil

Falando em glóbulos brancos, as células de defesa do sistema imune são divididas em três grupos principais, os linfócitos, leucócitos e macrófagos. 

Os linfócitos servem para proteger o nosso organismo e destruir patógenos capazes de provocar infecções. Os leucócitos são os glóbulos brancos produzidos especialmente pela medula óssea, com função de eliminar células mortas e inativas.  

Por fim, macrófagos são estruturas celulares que fazem a fagocitose, isto é, atuam para absorver células já danificados, promovendo a regeneração de seus tecidos.

Qual a função do sistema imune? 

Conforme apontado, a função do sistema imune consiste em prevenir os efeitos nocivos provocados por agentes externos, combater microrganismos invasores, detectar a presença desse patógenos e iniciar uma resposta eficaz para recuperar os danos causados por inflamações e infecções. 

De modo geral, serve para manter altas as defesas do organismo. Em primeiro lugar, tenta evitar a entrada de fungos, vírus, bactérias e germes no corpo humano. Quando essa barreira inicial, sua função passa a ser identificar o invasor e implementar uma reação adequada no organismo. 

Assim, visa destruir os invasores já estabelecidos, evitar a proliferação desses agentes, destruir tecidos comprometidos e promover a regeneração celular a fim de preservar ao máximo nossa saúde e bem-estar. 

Tipos de imunidade 

A imunidade pode se dividir em subgrupos de acordo com a forma e o momento em que nossas defesas biológicas foram formas. Dessa forma, temos a variação entre a imunidade inata e a adaptativa, já ouviu falar nelas? 

imunidade inata e adaptativa
Fonte: Vacinas.com.br 

Sistema imune inato 

O sistema imune inato ou natural é formado pelo conjunto de defesas que nosso organismo dispõe desde o nascimento. É formado por todos os tecidos e sistemas orgânicos desenvolvidos na gestação, assim com pelas funções biológicas mais básicas, como respiração, digestão, crescimento e cicatrização. 

Além disso, a imunidade inata conta com as informações e anticorpos fornecidos pela mãe, tanto por meio do cordão umbilical e placenta na gravidez, como também no leite materno, essencial para a obtenção de nutrientes que estimulam a produção de glóbulos brancos. 

Sistema imune adaptativo 

Por outro lado, temos o sistema imune adaptativo, ou seja, aquele que permanece em constante evolução durante a nossa vida.  

Também conhecida como imunidade adquirida, ocorre principalmente por meio da exposição a agentes infecciosos, permitindo que nossas células de defesa aprendam a maneira ideal de combatê-los. 

Isso ocorre quando temos contatos com microrganismos invasores ativos ou inativos, ou seja, pode ser proporcionado tanto quando ficamos doentes quanto por meio da vacinação. Em ambos os casos, o corpo aprende a identificar e produzir anticorpos específicos para combater cada doença ou mal. 

O sistema imune adaptativo se divide em duas subcategorias, chamadas de imunidade humoral e celular. Entenda: 

  • Imunidade humoral: consiste na ação de anticorpos constituídos por linfócitos B, responsáveis por reconhecer invasores no organismo e destruí-los; 
  • Imunidade celular: desempenhada pelos linfócitos tipo T, combate os efeitos causados pela proliferação de microrganismos invasores no corpo, eliminando tais agentes infecciosos e recuperando as áreas afetadas. 

4 benefícios de um sistema imunológico forte 

Antes de explicar o que fazer para fortalecer o sistema imune, é importante citar quais benefícios podem ser alcançados com esse tipo de cuidado. Dessa forma, temos a oportunidade de conhecer as recompensas de adotar hábitos de vida mais saudáveis. 

Os principais benefícios de fortalecer o sistema imune são: 

1. Maior disposição e energia na rotina diária 

Um organismo saudável e com toda capacidade de se defender de agentes infecciosos sem comprometer as reservas nutritivas e funções biológicas tem maior disposição para enfrentar a rotina, desfrutando de níveis elevados de energia para empregar nas suas atividades. 

2. Qualidade do sono 

Tanto em plena atividade quanto em repouso, a imunidade estimula funções biológicas com máxima eficiência. Dessa forma, o sistema imune em dia também beneficia a qualidade das suas noites de sono, fornecendo um repouso tranquilo e recuperador. 

3. Produtividade e desempenho elevado em atividades e tarefas 

Cuidar da saúde também resulta em maior produtividade e na melhoria do desempenho em qualquer tipo de atividade, seja no trabalho, atividades de lazer, esportes ou exercícios físicos, entre outros.  

4. Menor frequência de doenças e sintomas mais leves 

Não é possível garantir uma vida livre de doenças, porém, fortalecer o sistema imune pode diminuir a frequência com que nos adoecemos e até mesmo resultar em sintomas mais leves, reduzindo o impacto sentido por infecções diversas. 

4 sinais de baixa imunidade 

Do outro lado da moeda, a baixa imunidade ameaça nosso bem-estar e a qualidade de nossas interações com aqueles que nos cercam. Confira alguns sinais de que o seu sistema imune está fraco e precisa de atenção: 

1. Infecções com frequência e intensidade elevadas 

Quem fica doente com muita frequência, sofre com sintomas mais intensos e tem quadros que demoram a passar, pode estar com a imunidade baixa.  

Como as defesas do organismo estão afetadas, elas não têm tempo de se recuperarem entre uma infecção e outra, resultando em um ritmo quase incessante de viroses, gripes e resfriados. Além disso, a doença demora mais e mais para apresentar melhora. 

2. Indisposição e energia em baixa 

Se a imunidade alta é sinônimo de mais energia e produtividade, o contrário também acontece. Quando estamos com as defesas enfraquecidas, os níveis de energia também diminuem, simbolizando que o organismo está sem reservas de nutrientes essenciais. 

Dessa forma, quem sofre com a imunidade baixa costuma se queixar frequentemente de cansaço e fadiga, entre outros sintomas. 

3. Desconforto gastrointestinal recorrente 

O sistema digestivo é responsável pela absorção e síntese de nutrientes essenciais para a saúde, inclusive aqueles destinados ao fortalecimento da imunidade.  

Quando enfraquecido, o sistema imune impacta também no trato gastrointestinal, que apresenta dificuldade para funcionar e absorver a demanda elevada por nutrientes, consumindo as próprias reservas de energia. 

Como resultado, podemos notar um aumento na frequência de problemas no estômago, intestinos, fígado e órgãos adjacentes. Nesse caso, podem elevar os casos de náusea, vômito, diarreia e refluxo gástrico. 

4. Enxaqueca e febre 

Sintomas comuns de viroses, como enxaqueca, febre, dermatites, otites e alergias também são sinais de imunidade baixa, pelo mesmo motivo citado, o organismo não consegue combater um evento e se recuperar a tempo de lutar contra a próxima ameaça. 

Como fortalecer o sistema imunológico? 8 dicas valiosas! 

Chegou a hora de mostrar como aumentar a imunidade e promover a qualidade das defesas do organismo. Confira dicas para melhorar a alimentação, otimizar o desempenho físico e até o que tomar para fortalecer o sistema imunológico. Confira! 

Alimentação nutritiva e balanceada 

Um dos passos mais importantes para aumentar a qualidade do sistema imune é cuidar da alimentação, indo além de dietas e da busca por um corpo que se encaixa em padrões estéticos. O objetivo aqui é fornecer ao organismo toda demanda nutritiva diária. 

Dessa forma o organismo tem tudo à disposição para preservar a saúde, ao mesmo tempo que mantém reservas para usar no combate às doenças e acelerar a recuperação caso fique doente. Entre os principais nutrientes para fortalecer o sistema imune, temos: 

Nutriente Função Fontes alimentares 
Zinco Responsável pelo desenvolvimento otimizado da imunidade adquirida e por estimular a regulagem genética dos linfócitos; Carnes, frutos do mar, vísceras, ovos, amêndoas e cereais integrais; 
Vitamina C Micronutriente com ação antioxidante, cicatrizante e capaz de fortalecer os linfócitos; Frutas cítricas e vegetais, como laranja, limão, caju, acerola, brócolis e couve-flor; 
Vitamina A Atua na renovação celular, possui ação antioxidante, estimula a produção de colágeno e ajuda a preservar a visão; Vísceras de frango e boi, ovos, leite e derivados, óleo de fígado de bacalhau, cenoura, batata-doce, manga e espinafre; 
Selênio Mineral que promove ação antioxidante e fortalece as respostas imunes; Castanha-do-pará, frango cozido, arroz, alho e clara de ovos; 
Vitamina D Combate raquitismo, fortalece ossos e dentes, além de contribuir para absorção de cálcio; Carnes, peixes, frutos do mar, ovos, leites, cogumelos e suplementos. Também é produzida pelo corpo durante a exposição aos raios solares UV; 
Vitamina E Possui ação anti-inflamatória, e estimula a capacidade do sistema imune em combater invasores. Azeite de oliva, abacate, castanhas, amêndoas, nozes e gema de ovos. 

Praticar atividades físicas 

O sistema imune também é reforçado quando praticamos atividades físicas. Pelo menos 30 minutos de exercícios já tem potencial para promover a liberação de serotonina, conhecida como hormônio do bem-estar. 

Com isso, sentimos mais disposição, energia e alegria, ao mesmo tempo que temos funções biológicas otimizadas e o metabolismo se acelera, o que serve para agilizar o desenvolvimento dos nossos mecanismos de defesa. 

Desenvolver bons hábitos para a rotina 

Hábitos saudáveis como se alimentar bem e fazer exercícios são apenas o começo, também é importante melhorar a rotina e incluir atividade relaxantes ou energizantes.  

Meditação e banhos de sol podem recarregar suas baterias e este último ainda contribui para a produção natural de vitamina D, importante nutriente para aumentar a capacidade imunológica do organismo. 

Cuide também da saúde mental 

A saúde mental também afeta a nossa imunidade. É fato que o estresse excessivo pode aumentar a incidência de doenças diversas e prejudicar nossa disposição. Por isso, não deixe de evitar situação que elevam o desgaste físico e mental. 

Além disso, tenha um círculo de apoio com pessoas queridas, com as quais você possa contar e que podem contar com você, promovendo o bem-estar coletivo e individual ao mesmo tempo. 

Não esqueça de hidratar-se 

Beber líquidos, principalmente água, é essencial para a imunidade. A hidratação ajuda o corpo a se livrar de impurezas e toxinas, além de ser útil para diversas funções biológicas executadas pelo nosso metabolismo. 

Valorize uma boa noite de sono 

Dormir bem é muito importante para evitar a baixa imunidade. Durante o repouso, o organismo recupera o arsenal de defesa e regenera estruturas afetadas. Por isso, adotar uma rotina que facilite uma noite de sono tranquilo poderá elevar resposta imune como um todo. 

Mantenha a vacinação em dia 

O calendário de vacinação foi desenvolvido para combater doenças e promover a imunidade adquirida. Vacinas são extremamente seguras e eficazes, contendo apenas uma versão desativada do vírus, para promover a produção de anticorpos sem causar uma infecção. 

Considere suplementos alimentares para fortalecer a imunidade 

Suplementos alimentares para fortalecer a imunidade são uma excelente alternativa na hora de complementar uma dieta incapaz de atender as necessidades de cada pessoa. Com uma rotina agitada, adquirir todos os nutrientes em quantidades ideais pode ser um desafio. 

Como alternativa, suplementos podem facilitar a ingestão dessas vitaminas e minerais essenciais, independente da sua dieta ou rotina.

Conclusão 

O sistema imune é o conjunto de órgãos, tecidos, glândulas e células responsáveis pelo combate à doenças infecciosas e os patógenos que as causam. A imunidade forte pode diminuir a frequência e intensidade de sintomas adversos, promovendo a qualidade de vida e nosso bem-estar. 

Alimentação saudável, hábitos relaxantes e atividades físicas regulares estão entre as principais medidas para desfrutar desses benefícios. Além disso, a vacinação é a forma mais rápida e segura de adquirir imunidade e prevenir doenças. 

Referências consultadas

Medicine Plus. Immune System. Disponível em: https://medlineplus.gov/immunesystem.html. Acesso em janeiro/2022.

Harvard Health Publishing. Can supplements help boost your immune system? Disponível em: https://www.health.harvard.edu/staying-healthy/can-supplements-help-boost-your-immune-system. Acesso em janeiro/2022.

Carr AC, Maggini S. Vitamin C and Immune Function. Nutrients. 2017 Nov 3;9(11):1211. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29099763/. Acesso em janeiro/2022.

Aranow C. Vitamin D and the immune system. J Investig Med. 2011 Aug;59(6):881-6. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/21527855/. Acesso em janeiro/2022.

Dardenne M. Zinc and immune function. Eur J Clin Nutr. 2002 Aug;56 Suppl 3:S20-3. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/12142956/. Acesso em janeiro/2022.

Asif N, Iqbal R, Nazir CF. Human immune system during sleep. Am J Clin Exp Immunol. 2017 Dec 20;6(6):92-96. PMID: 29348984; PMCID: PMC5768894. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29348984/. Acesso em janeiro/2022.

Embrapa. “Quantidade de selênio nas castanhas-do-brasil varia de acordo com região”. Disponível em https://www.embrapa.br/busca-de-noticias/-/noticia/11010983/quantidade-de-selenio-nas-castanhas-do-brasil-varia-de-acordo-com-regiao#:~:text=Grosso%20e%20Acre.-,Existe%20uma%20recomenda%C3%A7%C3%A3o%20de%20se%20ingerir%20cerca%20de%2055%20microgramas,400%20mcg%20de%20Se%2Fdia. Acesso em janeiro/2022.

ABRAN. “Cartilha de orientações de imunidade”. Disponível em: http://abran.org.br/new/wp-content/uploads/2020/04/ABRAN_Cartilha-Orientacoes_Imunidade.pdf. Acesso em janeiro/2022.

Saúde Brasil. “Atividade física e alimentação saudável para alcançar o peso adequado”. Disponível em: https://saudebrasil.saude.gov.br/ter-peso-saudavel/atividade-fisica-ou-alimentacao-saudavel-o-que-e-mais-importante-para-alcancar-o-peso-adequado. Acesso em janeiro/2022.

National Institute of Allergy and Infectious Diseases [Internet]. Overview of the Immune System. Disponível em: https://www.niaid.nih.gov/research/immune-system-overview. Acesso em janeiro/2022.

Chegou Benegrip Imuno!

Imagem ilustrativa com embalagens dos produtos Benegrip Imuno Complex e Benegrip Imuno Energy. Em fundo verde, com o texto escrito

Mais nova linha de Benegrip, agora de suplementos de vitaminas e minerais escolhidos para fortalecer* seu sistema imunológico e reforçar** sua energia.

Benegrip Imuno Complex: O primeiro em cápsulas gelatinosas***, possui uma fórmula exclusiva*** que irá auxiliar na prevenção* e fortalecer* o seu sistema imunológico. Saiba mais!

Benegrip Imuno Energy: Comprimidos efervescentes com um complexo exclusivo*** de vitaminas e minerais escolhidos que irão contribuir com sua energia** e auxiliar no sistema imune. Saiba mais!

Benegrip Imuno Complex e Benegrip Imuno Energy são alimentos isentos de registro de acordo com a RDC 27/2010. *Referente ao Benegrip Imuno Complex que contém vitamina D, C, A e Zinco que auxiliam no funcionamento do sistema imune. **Referente ao Benegrip Imuno Energy que contém vitamina C e Zinco que auxiliam no metabolismo energético, e de proteínas, carboidratos e gorduras, respectivamente. ***IQVIA. PMB. Agosto, 2021. Mapeamento do mercado de vitaminas.